Domingo, 3 de Junho de 2007

Dias sem memória

Hoje é que é o dia do presente
mas de todos os dias passados
poucos me estão presentes
porque há dias sem memória

Era desses que eu me queria lembrar
desses que não obedecem a datas
que são livres e foram felizes

Porque se misturaram na vida
numa amálgama de pequenas coisas
como o fumo das casas se dilui nas nuvens

Imagino-os de madorna, vagos como a paz
se calhar foi num desses dias que tudo começou,
exactamente aí...
Quando a lua sobe e deixa o dia escoar no calendário

Folheio uma agenda desactualizada e sem interesse
quando penso que todos os dias nascem
novos dias

Marc Chagall - Enchantement vesperal
Marc Chagall, Enchantement vesperal

Sinto-me:
Estou a ouvir: Maximilian Hecker- Infinite Love Song

I have a Dream


Perfil

Adicionar como amigo

. 12 seguidores

Junho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


links

posts recentes

Dias sem memória

As flores do meu quintal

Ser poeta

AÍ..

Tela inacabada

Palavras

Dispersões

arquivos

Junho 2007

Maio 2007

Maio 2006

Março 2006

tags

todas as tags

subscrever feeds